Select Menu
Select Menu
Image and video hosting by TinyPic

Noticias de ultima horas

Cidade

Noticias da Região

EDUCAÇÃO E SAUDE

CULTURA E ESPORTE

Mundo e Brasil

Estado

Politica

CÂMARA DE VEREADORES DE LIMOEIRO


A Companhia Pernambucana de Saneamento - Compesa vai ampliar o alcance das águas do Sistema Integrado Sirijí. O governador Paulo Câmara autorizou a realização de uma obra com investimento de R$ 1 milhão, para a implantação do sistema de abastecimento de água do distrito de Borracha, no município de Vicência, na Mata Norte. A iniciativa irá beneficiar cinco mil pessoas na localidade, hoje atendidas precariamente por um poço da Prefeitura. O termo de compromisso para a execução do empreendimento foi assinado hoje (25) pelo presidente da Compesa, Roberto Tavares e pelo Prefeito de Vicência, Guilherme Nunes, que chegou acompanhado do deputado estadual Antônio Morais e do secretário de Administração do Estado, Milton Coelho. O edital da  licitação será publicado nesta quarta-feira (26), no Diário Oficial de Pernambuco.


Segundo o presidente da Compesa, a obra será mais um passo importante para a universalização do abastecimento nas cidades da Mata Norte. "O governador Paulo Câmara tem acompanhado diretamente a ampliação dos sistemas, especialmente, diante dos sete anos de seca", pontuou Roberto Tavares. Os recursos para viabilizar a obra para o distrito de Borracha serão do Governo do Estado e da Compesa, contando também com a parceria da Prefeitura de Vicência, que será responsável pelos serviços de escavação e reaterro. A partir da assinatura da ordem de serviço, a obra será executada em até seis meses e prevê a construção de uma estação de bombeamento e adutora, com a extensão de 5.200 metros, para transportar água do Sistema Integrado até o reservatório elevado, que fica situado no distrito de Borracha. A Compesa também vai implantar 2 mil metros de rede de distribuição na localidade.

Na manhã desta terça-feira (25), o prefeito e o vice-prefeito eleitos de Belo Jardim, Hélio dos Terrenos (PTB) e Dr. Silvano, respectivamente, foram diplomados e empossados em solenidade realizada na Comarca Municipal no Salão do Júri e na Câmara de Vereadores, marcando o último ato oficial da Justiça Eleitoral nas eleições suplementares. Hélio venceu a disputa no último dia 2 no município. A diplomação foi feita pelo juiz eleitoral Demétrius Liberato Aguiar.

Ao sair da Câmara de Vereadores, Hélio dos Terrenos e Dr. Silvano foram recebidos pelo povo, que se concentrava na Praça da Câmara, aguardando-os para irem em caminhada até a Prefeitura Municipal de Belo Jardim.

A transmissão de cargos na Prefeitura foi feita pela Procuradora do Município, a advogada Fernanda e o secretário municipal de Saúde, Dr. Maneco, que, cordialmente, receberam o prefeito Hélio dos Terrenos e o vice Dr. Silvano.

Além dos secretários e vereadores, amigos, familiares e demais lideranças políticas fizeram presentes na solenidade o ex-prefeito Cintra Galvão; deputado Federal Silvio Costa (Avante); o presidente estadual do PTB e deputado estadual José Humberto Cavalcanti, representando o senador Armando Monteiro (PTB); os deputados estaduais Augusto César (PTB) Silvio Costa Filho (PRB) e Teresa Leitão (PT); entre outras autoridades.

Após a transmissão de cargo, o prefeito Hélio dos Terrenos fez um agradecimento, em seu discurso, em frente ao Palácio Municipal, reforçando o compromisso em trabalhar para garantir uma melhor qualidade de vida a todos os cidadãos belo-jardinenses. O gestor petebista destacou que sua gestão será pautada na transparência e na participação popular. Hélio anunciou o secretariado, ressaltando que outros nomes que vão compor a equipe ainda serão divulgados até o início da próxima semana.

Confira os nomes dos secretários municipais:

- Secretaria de Saúde: Dr. Silvano Galvão
- Procuradoria Municipal: Uriel José Campelo Filho
- Secretaria de Educação e Tecnologia: Ricardo de Oliveira 
- Secretaria de Cultura, Esporte, Turismo e Eventos: Sílvio Romerio
- Secretaria de Obras: Fábio Galvão
- Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente: Roberto Barbosa
- Secretaria de Juventude e Trabalho: Neto Andrade
- Secretaria Especial da Mulher: Zuleide Oliveira
- Secretaria de Governo e Articulação Política: Cecílio Galvão
- Controladoria Geral: Uriel José Campelo
- Secretaria de Ação e Desenvolvimento Social: Luza Torres
- Autarquia Educacional: José João Ribeiro
- Instituto de Previdência dos Servidores Municipais: Sebastião Cordeiro Filho
- Autarquia de Trânsito: José Valdemir de Brito
- Gabinete do Prefeito: Ivanildo Assis

Fotos: Divulgação

Os médicos da rede municipal de saúde do Recife realizam nesta quarta-feira (26), a partir das 10h30, um ato de mobilização para mostrar a precária realidade de estrutura nos vários postos da cidade. A ação será realizada da Unidade de Saúde da Família (USF) da União das Vilas, que atualmente funciona em um contêiner instalado Rua Sacadura Cabral, no bairro do Espinheiro, sem as condições adequadas para profissionais e pacientes.

O ato de mobilização faz parte da paralisação de advertência de 48h, deliberada após assembleia geral da categoria. Neste período, ficam suspensos integralmente os serviços eletivos e ambulatoriais, sendo preservados os trabalhos de urgência e emergência no município.

De acordo com o Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe), a parada tem como objetivo alertar a gestão municipal para a necessidade de tomada de providências quanto às reivindicações feitas pela categoria. O pleito dos médicos inclui melhorias na questão da segurança, estruturas físicas, condições dignas de trabalho, além de ajustes nos programas de preceptoria. O movimento também reivindica reajuste salarial, tendo em vista que os vencimentos estão defasados.

Localização
O posto onde era para funcionar as atividades da USF da União das Vilas está localizado na Rua Gomes Pachêco, 198, também no Espinheiro. O local é bem próximo à rua em que funciona o contêiner (de cor verde) onde são realizados os atendimentos. 
O primeiro Código Estadual de Defesa do Consumidor do país será apresentado na primeira semana de agosto. O projeto, de autoria do deputado Rodrigo Novaes (PSD), compreende as normas produzidas ao longo do tempo por legisladores estaduais, contendo inovações importantes também.

“Isso vai permitir que os cidadãos conheçam a lei de proteção e possam dar-lhe efetividades. Criamos uma comissão que vai discutir os últimos ajustes com técnicos, professores, juristas, profissionais do Procon e do Ministério Público”, afirma Novaes.


(Rômulo França) Venho por meio deste e mail, confessar meu engano sobre parte da matéria: "Nutricionista desmistifica as diferenças entre galinha caipira e galinha de granja".

Segundo informações da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA):
É inverídica a informação de que são utilizados hormônios na criação de frangos no Brasil.  Além de proibido pela Instrução Normativa n° 17, de junho de 2004, o uso de hormônios na avicultura industrial é inviável sob o ponto de vista técnico, operacional e financeiro, considerando o tempo de criação da ave, de 45 dias, e de manifestação de resultados deste tipo de substância sintética, superior a 60 dias. 
- A ausência de hormônios é determinada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.  O monitoramento é realizado pelo Plano Nacional de Controle de Resíduos e Contaminantes (PNCRC).  Desde o início do monitoramento, nunca foi detectado qualquer desvio.
- A proibição do uso de hormônios não é uma exclusividade do Brasil. Esta é uma regra GLOBAL, adotada pelo International Poultry Council (IPC). Pelos mesmos motivos dos brasileiros, avicultores de outros países também descartam tal utilização por sua inviabilidade técnica, operacional e financeira.  
- Não há qualquer desvio de qualidade nutricional entre os produtos da avicultura industrial do Brasil.  A qualidade é totalmente monitorada por técnicos das mais variadas áreas - inclusive, nutricionistas - garantindo um produto de excelência.  Atualmente, a carne de frango é a proteína animal mais consumida pelos brasileiros, com 41 quilos per capita/ano. A qualidade do produto brasileiro também é responsável pela liderança do país no mercado internacional.

Ao enviar o reliese, usei uma informação que não se comprovou. Errei.  Acho que temos sempre que comprovar as informações que trazemos.
Peço desculpas aos profissionais e leitores. A missão é tentar sempre o máximo de precisão possível nas informações.

Nutricionista desmistifica as diferenças entre galinha caipira e galinha de granja
Com os escândalos recentes da Operação Carne Fraca, deflagrada pela Polícia Federal, a carne do frango está tendo um lugar de honra na mesa dos brasileiros. A nutricionista Cláudia Oliveira diz que apesar da carne branca ser essencial, é preciso ter cuidado com a procedência da carne consumida.
“O Frango de granja é criado propriamente para o abate e consumo, seu tempo de crescimento é mais rápido, pois em sua dieta inclui diversos tipos de hormônios, o que modifica bastante o sabor da carne e compromete as condições nutricionais do alimento”, disse Cláudia
“Já a galinha Caipira, carne bastante apreciada pelo homem da roça, possui um valor nutricional agregado devido a qualidade do alimento consumido pelo animal, o qual é criado em ambiente aberto e consome em sua maioria alimentos de origem vegetal e livre de pigmentação (que é usada na ração para dar uma cor mais amarela à gema) ”, disse Cláudia, ressaltando que para quem vive na Cidade, longe de toda calmaria da vida campestre, consumir uma galinha com sabor e rica em proteína é bem difícil.
Pensando nisso, o agrônomo Paulo André decidiu iniciar a produção de galinha caipira em maior escala. Sem utilizar nenhum tipo de agrotóxico na alimentação ou no solo, e nenhum tipo de hormônio nas galinhas, Paulo vem se destacando no mercado por oferecer saúde em forma de alimento. No sítio onde fica a Agroindustrial Vale do Sino, a galinha vive de forma natural, com alimentação e condições de vida semelhante ao vivido em propriedades rurais.
“Nossas galinhas são criadas livres no campo, com espaço para correr e se alimentarem de pasto, além de frutas e verduras produzidas no próprio sítio. Criamos galinhas felizes, nos preocupamos com o bem estar animal e com sua harmonia na natureza”, ressalta o agrônomo, satisfeito com o trabalho desempenhado.
Ainda falando em alimentação orgânica, a nutricionista explica que a carne do frango e da galinha caipira tem sabor e propriedades nutricionais bem diferenciados. “A carne da galinha caipira é muito saborosa e com coloração mais escura que a do frango de granja”, destaca Cristiana e explica que essa coloração e sabor se dá porque a musculatura tem maior teor de mioglobina, proteína conjugada necessária para a ave andar e ciscar o dia inteiro.
Cláudia também diz que a carne da galinha caipira além de ser rica em proteínas é, também, fonte importante de energia e de outros nutrientes como vitaminas, minerais e lipídios. “A galinha tem uma carne bastante rica em ferro e nas vitaminas do complexo B, em especial niacina (músculo escuro) e riboflavina (músculo claro)”, destacou.

Rômulo França

101 bolsistas do FormaSUS entrarão em 17 instituições de ensino superior


Cento e um estudantes, que concluíram o ensino médio em Pernambuco em escolas públicas estaduais ou em privadas como bolsistas integrais, ocupam, já neste segundo semestre de 2017, as salas de aula de 17 instituições privadas de ensino superior, em cursos de saúde. Todos irão estudar por meio de bolsa de ensino integral, uma parceria da Secretaria Estadual de Saúde (SES) com as instituições por meio do FormaSUS. Este ano, as vagas foram ofertadas em sete municípios pernambucanos, incluindo Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, Belo Jardim, Vitória de Santo Antão, Caruaru e Serra Talhada. O acolhimento desses estudantes ocorreu na tarde desta terça-feira (25.07), na sede da SES, no bairro do Bongi. 

"Este ano, a SES investiu na qualificação do sistema web de seleção dos bolsistas e de gestão do Programa. Outra novidade, foi a possibilidade do candidato poder concorrer a todas as vagas disponíveis para o curso escolhido, indicando sua ordem de preferência. Dessa forma, pudemos contemplar os candidatos com as melhores notas.  O processo seletivo transcorreu com agilidade e tranquilidade para todos os 9.838 candidatos inscritos e o aumento no número de inscritos a cada ano mostra que o programa já está bem conhecido entre os pernambucanos", pontua a diretora geral de Educação na Saúde, Juliana Siqueira.  

As bolsas ofertadas neste ano foram para os cursos de Medicina (6 vagas), Biomedicina (4), Enfermagem (71), Farmácia (2), Fisioterapia (12), Nutrição (1), Odontologia (1), Psicologia (1) e Serviço Social (3). Os que apresentaram maior número de inscritos no ano de 2017 foram Enfermagem, Fisioterapia e Medicina. A classificação dos candidatos foi feita a partir da média geral do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

PROGRAMA – Criado por meio de decreto em 2011 e transformado em lei estadual em 2013, o FormaSUS está no seu sexto ano de existência. Entre 2012 e 2016, foram ofertadas 495 bolsas de nível superior. As bolsas integrais são uma contrapartida das instituições de ensino privadas que utilizam a unidades da rede estadual de saúde como campo de estudo e prática para a formação de seus estudantes. A cada dois anos também são oferecidas vagas do FormaSUS técnico. Desde 2012, foram 566 bolsas. Para essa modalidade, a próxima seleção será em 2018.


Secretaria Estadual de Saúde - PE
Superintendência de Comunicação
(81) 3184.0065 / 99488.2688


A Câmara de Vereadores de Limoeiro, nesta Terça feira (25), fez mais uma reunião na casa professor Agripino de Almeida onde vários requerimentos foram aprovados.

E o vereador Robertinho Galvão solicitou o retorno das obras que ficaram parada da gestão anteriores por ser período eleitoreiro bem como colocou um requerimento solicitando o termino do PSF Santa Terezinha.
>


Ao mesmo tempo a retomada do asfalto da Rua da Linha e Rua da lagoa que pela atual gestão, mais deixando claro que é o termino de uma obra da gestão anterior que ele comprova com  documentos retirado do portal da Transparência Federal da CGU, “é uma obra ainda da gestão passada que esta sendo concluída por esta, pois o projeto foi realizado pela equipe de   Thiago Cavalcanti e a verba conseguida pelo Deputado Federal Ricardo Teobaldo(PTN), 

Apesar de o prefeito continuar fazendo sucesso nas redes sociais, reunindo 2,9 milhões de seguidores em sua página no Facebook, a aprovação do governo caiu


DORIA: o prefeito que tem como slogan o “acelera” tem sido cobrado pela lentidão nas decisões / Nacho Doce/Reuters
Se os primeiros 100 dias da gestão do prefeito João Doria em São Paulo foram de muito otimismo e de popularidade em alta, os 100 dias seguintes, completados na quarta-feira 19, deixaram claro que o buraco é mais fundo do que parecia.
PUBLICIDADE
De um lado, Doria conseguiu angariar mais de 600 milhões de reais em doações empresariais e mantém o ritmo acelerado de publicações nas redes sociais, divulgando as ações da prefeitura.

Por outro lado, a relação com o setor privado começa a ser alvo de críticas — só 3,6% das doações foram de fato concretizadas — o nível de investimentos está muito aquém dos 5,5 bilhões previstos inicialmente e o prefeito está imerso em questionamentos sobre suas ambições presidenciais.

Apesar de o prefeito continuar fazendo sucesso nas redes sociais, reunindo 2,9 milhões de seguidores em sua página no Facebook, a aprovação do governo caiu.

Doria está com 41% de aprovação, ante 44% que consideravam seu governo bom ou ótimo em fevereiro, de acordo com a última pesquisa Datafolha, realizada em 5 de junho. A desaprovação cresceu, passando de 13% no começo da gestão para 22%. Ainda são números bons, mas a queda é um sinal de alerta.

Esta semana foi especialmente difícil para Doria. Na sexta-feira 21, guardas municipais tentaram barrar a distribuição de sopas para moradores de rua, alegando que não é permitida a distribuição gratuita de alimentos manipulados.

Após ser questionado sobre o ocorrido, o secretário de Segurança Urbana, José Roberto de Oliveira, liberou a distribuição da sopa e o prefeito exigiu que a regulamentação municipal que trata sobre o assunto seja revista.

Já na quarta-feira 19, uma reportagem da CBN apontou que moradores de rua foram acordados pela equipe de limpeza da prefeitura com jatos de água na praça da Sé, após a noite mais fria do ano.

A prefeitura nega o ocorrido e informou em nota que o procedimento comum é abordar as pessoas e solicitar a retirada dos pertences do local a ser limpo e que determinou que as empresas prestadoras de serviço apurem se houve intercorrência.

Em maio, vale lembrar, a prefeitura, depois de uma ação de desmonte da Cracolândia, demoliu prédios com pessoas dentro e solicitou à Justiça permissão para realizar a internação compulsória de usuários de crack, proposta que foi condenada pelo Ministério Público e extinta pelo Tribunal de Justiça.

No fim das contas, Doria tem se deparado com dois tipos de problemas. O primeiro: o empresário que virou prefeito sofre cada vez mais com as amarras típicas do setor público.

Por estilo de gestão e personalidade, Doria concentra as decisões e delega pouco, o que tende a atravancar os projetos. Um exemplo está na secretaria de inovação e tecnologia, criada justamente para modernizar o funcionamento da cidade. Um projeto recente foi reduzir de 100 dias para sete o tempo necessário para abrir uma empresa na capital paulista.

Mas há tantas etapas burocráticas a serem cumpridas, algumas impostas pelo próprio prefeito, que a coisa não vai pra frente. “As ações de inovação dependem de articulação com várias outras secretarias, e a aprovação é difícil. O processo está andando mais devagar do que todo mundo gostaria”, afirma Silvio Genesini, colunista de EXAME Hoje e membro do Conselho Gestor da secretaria.

Um exemplo acabado dessa dificuldade de navegar nas águas do setor público: até junho, a prefeitura havia investido 250 milhões de reais no município, valor que equivale a 4,5% do total previsto no orçamento para o ano inteiro, na ordem de 5,5 bilhões de reais. A gestão já informou que empenhou apenas 1 bilhão de reais em investimentos para 2017, e que os 75% restantes estão congelados. “Tem duas razões. Boa parte do investimento previsto no orçamento dependia de transferências do governo federal, que não estão acontecendo no ritmo esperado. Outra diz respeito à crise. O país não está crescendo dentro das expectativas e houve a necessidade de fazer ajustes de gastos”, afirma o secretário municipal da Fazenda Caio Megale.

Alguns gastos também haviam sido mal dimensionados. “Muitos gastos obrigatórios não estavam previstos. Houve uma certa forçação de barra para que coubesse um subsídio menor a alguns serviços, mas o orçamento para áreas como saúde, educação e coleta acabou ficando muito tímido, e uma parte do orçamento que estava destinado a investimentos teve que ser redirecionada para o custeio de atividades essenciais”, afirma o secretário.

“Também é verdade que nós não iniciamos o ano a todo vapor. Nós precisávamos reavaliar alguns projetos, havia cerca de 70 obras iniciadas ou contratadas, e isso demorou um certo tempo.”

Para os quatro anos de gestão, foram traçadas 53 metas, divididas em 71 projetos diferentes. A versão final do programa de metas foi apresentada em 10 de julho, após mais de 23.000 sugestões terem sido enviadas pela sociedade. O custo total do plano é de 16,7 bilhões de reais.

Só que 45% desse valor é atribuído a outras fontes de recursos, que não os recursos próprios da prefeitura. “Não se pode garantir que o dinheiro vai chegar. Se o programa de desestatização e parcerias se frustrar, nossa capacidade de investimento vai ser bem menor”, afirma Megale.

O orçamento total é bem mais enxuto do que o apresentado pela gestão anterior. Na gestão do ex-prefeito Fernando Haddad (PT), o programa de metas apresentado em 2013 estimava um custo total de 23 bilhões de reais para a execução do plano do governo (ou 29 bilhões de reais, com correção da inflação).

Haddad só cumpriu 55% das metas, mas ainda assim Doria precisaria executar tudo o que propôs para igualar seu antecessor. Um prefeito que tinha como slogan de campanha o “acelera” tem sido cada vez mais cobrado pela lentidão e pela falta de ambição.

Só em privatizações estão previstos 5 bilhões de reais, e outros 5 bilhões devem vir de ganhos em relação à gestão anterior, com 20% de redução de despesas operacionais, aumento de 10% na arrecadação com a dívida ativa e aumento de mais 10% no investimento estrangeiro direto, que deve ultrapassar os 13 bilhões de dólares ao longo dos quatro anos de gestão.

O dinheiro arrecadado com essas metas já cobriria os recursos que a prefeitura vai precisar realizar em investimento e custeio do programa de governo. Em nota, a secretaria de Gestão afirmou que “a gestão entregou um Programa realista, factível e responsável com as questões orçamentárias da cidade”, e que “a administração também precisará de recursos para pagar o déficit previdenciário, dívidas e os precatórios. Por essa razão, não pode canalizar todos os recursos para investimentos”.

As doações em análise

O segundo grande problema do prefeito: Doria é cada vez mais cobrado pelo tipo de relacionamento que tem construído com o setor privado, uma das bandeiras de sua gestão. A polêmica mais recente tem a ver com o Parque Augusta, área de 24.000 m² na área central da cidade. O terreno havia sido adquirida em 2013 pelas construtoras Cyrela e Setin, para a construção de um novo empreendimento imobiliário. Mas o local vinha sendo palco de intensos protestos que pediam que a prefeitura recuperasse a área para o lazer. Em abril deste ano, a prefeitura havia acatado a sugestão do Ministério Público de manter o parque e oferecer uma outra área da prefeitura para as construtoras.

No dia 2 de junho, o prefeito anunciou a criação de uma nova secretaria — que não estava prevista no início do mandato: a de Investimento Social. O objetivo da nova pasta é administrar as doações realizadas pelo setor privado aos cofres públicos. Para ficar à frente da pasta, foi escolhido Cláudio Carvalho de Lima, que deixou a vice-presidência da construtora Cyrela para se tornar secretário. A nomeação foi questionada, uma vez que a construtora tinha interesse direto em resolver o imbróglio sobre o Parque Augusta.

No dia 17 de julho, a prefeitura anunciou que o Parque Augusta será mantido, e que as construtoras, em troca, ficam com um terreno de 18.000 m² na região de Pinheiros. Os movimentos sociais criticaram a permuta, alegando que deve dar à prefeitura um prejuízo milionário. O Ministério Público ainda está avaliando o valor do terreno. A prefeitura, por sua vez, aponta que o acordo prevê contrapartidas das construtoras na ordem de 30 milhões de reais, que incluem a construção de uma creche e de outros equipamentos públicos.

As maiores dúvidas estão nas doações feitas à prefeitura. De acordo com planilha publicada no Portal da Transparência da prefeitura, até o dia 14 de julho, quando foi feita a última atualização, 629 milhões de reais já haviam sido doados para o município. O mecanismo é totalmente legal e possível. “Há um conjunto de normas municipais que autorizam a doação de bens e serviços, que começaram a ser construídas na gestão Marta Suplicy [2001-2005] e foram sendo aprimoradas. A atual gestão tem utilizado bastante esse recurso, contanto que as empresas interessadas em realizar essas doações não exijam contrapartidas”, afirma o jurista Guilherme Jardim Jurksaitis, professor da FGV-SP e mestre em direito do Estado. “É importante frisar que o fato de uma empresa doar algo não quer dizer que ela tenha interesses escusos”.

O problema é que muito foi anunciado, divulgado e publicado no Diário Oficial, mas pouco foi de fato entregue. Constam como “concluídos” no Portal da Transparência apenas 23 milhões de reais em doações, ou 3,6% do total. Além disso, há problemas no interesse público das doações que são aceitas. Constam na planilha mais de 726.000 reais em doações para a Secretaria de Governo, com itens entregues diretamente ao gabinete do prefeito. Entre eles, estão um freezer e um abastecimento de sorvetes da Unilever, um refrigerador e bebidas não-alcoólicas da Ambev e uma série de itens luxuosos de mobiliário, como uma mesa de jantar com cristal de 18.000 reais da Total Home e uma outra mesa de reuniões da loja Escinter que custa 36.000 reais.


Se é impossível prever como a gestão Doria vai se desenrolar pelos próximos quatro anos, os próximos 100 dias são mais fáceis de visualizar. No último mês, especialmente desde a condenação do ex-presidente Lula no caso do tríplex do Guarujá, o prefeito tem extrapolado os limites do município e investido em sua projeção nacional. Após Lula ter afirmado, na quinta-feira, que “Doria por enquanto não é nada” em termos de ameaça política para as eleições presidenciais de 2018, o prefeito respondeu que prefere “ser um nada do que um ladrão”, e não tem perdido oportunidades de criticar o petista. Além disso, tem comprado brigas dentro do PSDB, afirmando que o senador afastado Aécio Neves precisa ser afastado da legenda o quanto antes. Doria continua afirmando que não vai disputar as prévias presidenciais com o governador Geraldo Alckmin no ano que vem, e que seu objetivo é governar a cidade de São Paulo até 2020.


Um grupo de vigilantes do quadro funcional da Prefeitura Municipal de Limoeiro (PML) acompanhou na tarde dessa terça-feira (25), a sessão ordinária da Câmara Municipal de Limoeiro. Na pauta esteve o requerimento 511/2017, de autoria do vereador Bau da Capoeira (PTB), onde solicita do governo municipal o pagamento do adicional de risco de vida dos vigilantes. De acordo com a Lei Federal 12.740, a classe profissional tem direito ao adicional no valor de 30% do salário. Atualmente, segundo os vigilantes da PML, a classe também não recebe o piso salarial da categoria, ficando o salário atrelado ao valor do mínimo (R$ 935). Ainda segundo os vigilantes, desde o ano de 2012 (último ano da primeira gestão do então prefeito Ricardo Teobaldo) o adicional foi retirado do contracheque.


O requerimento foi aprovado por unanimidade, inclusive, com associação de grande parte dos parlamentares da situação e da oposição. O documento agora segue para ciência do prefeito João Luís (PSB). “Espero que o nosso direito seja respeitado. Não queremos nada mais do que o nosso risco de vida estabelecido por lei. Não precisava essa situação virar requerimento, pois, é um direito nosso. Mas como foi retirado há quase cinco anos, acredito que a força deles (vereadores) vai nos ajudar”, comentou um vigilante, que pediu para não ser identificado. Nos minutos finais, o vereador Luís Antônio (PTB) sugeriu que os vigilantes possam ser lotados na secretaria de Trânsito, Segurança e Justiça Cidadã. De acordo com o petebista, isso facilitará com que, no futuro, os servidores possam trabalhar legalmente com armas de fogo. (Imagem | Jair Ferreira - Folha de Limoeiro)

Fonte:Blog do Agreste/Alfredo Neto


A Câmara de Vereadores de Limoeiro, nesta Terça feira (25), fez mais uma reunião na casa professor Agripino de Almeida onde vários requerimentos foram aprovados.


A sessão de hoje corria tudo bem ate os cincos minutos finais, este e o tempo que os vereadores usam para agradecer e para fazer algumas explanações e cobranças no final da sessão. Foi ai que ao usar o seu tempo o vereador Zózimo Albuquerque, usando da tribuna fez um menção de repudio por uma entrevista dada por um diretor da secretaria de obra o qual ele não citou o nome que na entrevista o mesmo dizia que nas apreensões de animais solto na rua não adianta ir pedir a vereador, pois o mesmo não iria entender o que não agradou ao vereador que achava que o diretor deveria usar de outas palavras como iria pedir ajuda aos vereadores para que o programa fosse cumprido 

depoimento acabou gerando uma indignação dos demais vereadores em especial da oposição que foram solidário ao vereador Zózimo e fizeram duros discursos como, por exemplo, Vereador Luiz Antônio (PTB), que além de falar desta entrevista,cobrou do gestor do executivo providencias sobre uma postagem de um ex- aliado do Atual Governo em sua rede social. A pessoa cita pelo vereador, que prestava serviço ao  CIEE. Segundo o vereador é grave o que o cidadão citado pelo vereador  postou em sua pagina, onde diz que na atual gestão tem gente com peitinho na PML e para o vereador e  graves deve ser apuradas, onde o mesmo diz que esta na hora de acabar com a mamata, e que tem muita gente mamando no peitinho da administração.  Vereador denomina a postagem na rede social "Facebook" de matéria e que deve ser apuradas pelo  executivo do município que mamatas são estas e quem esta mamando.



O Vereador Marcos Sergio fez um requerimento para o executivo para que o executivo possa retornar com o concurso que foi suspenso pela justiça em virtude do período eleitoral para que todos possam ter direito a uma vaga sem interferência (Politica). 
Já p Vereador Robertinho Galvão enalteceu a retomada do asfalto da Rua da Linha e Rua da lagoa que segundo ele e com comprovação de documentos e uma obra ainda da gestão passada que esta sendo concluída por esta, pois as verbas foram trazidas através de projeto de Thiago Cavalcanti e verba conseguida por Ricardo Teobaldo, e pediu a retomada a das obras do PSF do santa Terezinha.



O “Conservatório no FIG” encerra nesta quarta (26/07) a sua programação deste ano em grande estilo, oferecendo um repertório que vai do instrumental regional ao tango de Piazzola. O dia começa com apresentação do grupo pernambucano SaGrama. Há mais de 20 anos difundindo a música popular, a banda contará neste show com a participação especial do violonista Yamandu Costa – uma das referências mundiais do violão de sete cordas. Será, com certeza, uma belíssima apresentação na Catedral de Santo Antônio, num show que unirá o popular e o erudito, a partir das 16h30.

O espetáculo começará com o SaGrama no palco, trazendo um repertório do último CD gravado pela banda – que será lançado ainda no segundo semestre deste ano. Batizado de Alinhavando, o álbum traz uma coletânea que lembra os 22 anos do SaGrama, com composições de Dimas Sedícias, Cláudio Moura e Sérgio Campelo – os três principais compositores do grupo. “Faremos um pré-lançamento do CD, que estará sendo vendido na Catedral de Santo Antônio. Apresentaremos composições importantes, que trazem a essência do SaGrama nesses 22 anos. Dimas, com a música da cultura popular; Cláudio, mais erudito; e eu, fazendo uma música mista – misturando elementos populares e uma linguagem erudita”, explica Sérgio Campelo.
Na segunda parte do espetáculo, Yamandu Costa fará uma apresentação solo, mostrando a sua sensibilidade e virtuosidade, que o fazem ser uma das maiores referências mundiais do violão de sete cordas. Yamandu é hoje um dos artistas mais solicitados no mundo e, desde 2001 – ano em que venceu o Prêmio Visa ­ –, vem conquistando os palcos, como solista e em formações com diversos artistas.
Yamandu possui uma discografia extensa e variada, que revela gravações com grandes nomes da história da música brasileira, como Dominguinhos e Paulo Moura. A influência maior na infância e adolescência foi a música regional do Sul do Brasil, que aos poucos, foi abrindo espaço para outros gêneros, como o choro, o samba, a música erudita e o jazz. São 19 discos gravados e dois DVDs ao longo da carreira.
“Na terceira parte, tocaremos uma música que já gravamos com ele no nosso penúltimo CD e faremos algumas coisas novas nessa formação SaGrama/Yamandu. Acredito que será um espetáculo muito bonito”, prevê Sérgio Campelo, contente em participar por mais um ano do Conservatório no FIG.
O escalado para fechar a programação do festival é o grupo “LiberTango – Tango em Família” - que este ano completa 21 anos mantendo vivo o legado do argentino Astor Piazzolla em terras brasileiras.
Baseado no Rio de Janeiro, o trio é formado pela pianista Estela Caldi e seus filhos, Alexandre Caldi (saxofones e flautas) e Marcelo Caldi (acordeom). Eles têm quatro discos gravados: Tangos hermanosLiberTango – a música de Astor Piazzolla (Delira, 2005), Cierra tus ojos y escucha (Delira, 2007) e Porteño (Delira, 2010).
Ao lado do tango argentino, o grupo também passou a explorar as raízes do chamado tango brasileiro, a partir das celebrações em torno dos 150 anos de nascimento de Ernesto Nazareth (2013). O resultado dessa nova fase está em peças que trazem releituras “tangueadas” do compositor, como EncantadaTenebrosoNove de julho e Plangente.
O Conservatório Pernambucano de Música fou responsável por levar à Catedral de Santo Antônio, em Garanhuns, atrações variadas nos dias 21, 22, 23, 25 e 26 de julho – como parte do Festival de Inverno de Garanhuns (FIG). Os artistas que se apresentaram no espaço são o que existe de mais representativo na música instrumental e vocal brasileira na atualidade. O projeto abriu com um show que exaltou as origens da música brasileira e homenageou o compositor Guinga, passou pela ópera e por musicais famosos, encantou o público com instrumentistas premiados e com nível de excelência em seus instrumentos. Sem dúvida, uma programação rica, que foi muito bem prestigiada pelo público do festival, que lotou a Catedral em todas as sessões.
SERVIÇO
Conservatório no FIG / Programação dias 25 e 26/7na Catedral de Santo Antônio
Quarta, 26
16h30 – SaGRAMA. Convidado: Yamandu Costa
21h - Libertango

Material de campanha incentiva prevenção e tratamento da doença em animais e humanos


Para incentivar o trabalho de prevenção à esporotricose junto aos municípios pernambucanos - micose subcutânea causada pelo fungo Sporothrix sp., que pode acometer humanos e animais, sobretudo gatos - a Secretaria Estadual de Saúde (SES) lança, nesta terça-feira (25.07), durante a abertura do 4º Congresso Pernambucano de Municípios, no Centro de Convenções, material informativo sobre a doença. O folder traz explicações sobre o fungo causador, sintomas, manifestações clínicas no homem e no gato, diagnóstico e tratamento, além de dicas de prevenção. 

A intenção é distribuir o material para as secretarias municipais, já que o atendimento a estes pacientes é realizado nos postos de saúde; e também aos serviços de controle de zoonoses, responsável pelo tratamento no animal. "Vamos aproveitar a oportunidade em que os 184 municípios pernambucanos estarão reunidos em um mesmo evento da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe) para apresentação e entrega deste material de campanha. Dessa forma, podemos orientar os serviços e auxiliar a assistência", pontua o gerente de Vigilância e Controle de Zoonoses da SES, Francisco Duarte. 

A esporotricose tem tratamento, principalmente quando é diagnosticada corretamente e em estágio inicial. É de médio a longo prazo, entre seis meses a um ano, podendo ser mais longo nos felinos, feito por antifúngicos. A ocorrência da doença está relacionada a regiões com umidade elevada e desde o final do ano passado, a SES implementou a vigilância da doença com a notificação de casos, diagnóstico laboratorial e oficinas de trabalho para definir diretrizes e fluxos com municípios. O diagnóstico pode ser clínico (reconhecimento da lesão) ou laboratorial (identificação do fungo). O diagnóstico e as análises laboratoriais em humanos na rede estadual são feitos no Laboratório de Endemias (Labend), unidade do Laboratório Central de Pernambuco (Lacen-PE). No caso do animal, o Laben é responsável apenas pela análise laboratorial. Em 2016, o Lacen confirmou 45 casos em animas. Em humanos, 4 casos. Já em 2017, até julho, foram 65 casos em animais e 8 em humanos. 

Doença - O fungo causador da esporotricose geralmente habita o solo, palhas, vegetais e também madeiras, podendo ser transmitido por meio de materiais contaminados, como farpas ou espinhos. Animais contaminados, em especial gatos, também transmitem a doença, por meio de arranhões, mordidas e contato direto da pele lesionada. No homem a doença se manifesta na forma de lesões na pele, que começam com um pequeno caroço vermelho, que pode virar uma ferida. Geralmente estão presentes nos braços, pernas ou no rosto formando uma fileira de nódulos e feridas, afetando pele e vasos linfáticos próximos à lesão, mas pode também atacar ossos, pulmões e articulações.  Já nos animais, as manifestações clínicas são variadas. Os sinais mais frequentes são lesões ulceradas na pele, geralmente com pus, que não cicatrizam e costumam evoluir rapidamente.

Amupe - Durante o Congresso, que ocorre até quinta-feira (27.07), a Secretaria Estadual de Saúde (SES) estará com estande e distribuição de outros materiais informativos envolvendo as áreas de Vigilância e Assistência em Saúde. Também serão debatidos temas como o financiamento do Sistema Único de Saúde (SUS) e o Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Saúde, além do fenômeno da judicialização na gestão municipal, ambos ministrados pela secretária executiva de Coordenação Geral da SES, Ana Claudia Callou, na próxima quarta (26.07).

Secretaria Estadual de Saúde - PE
Superintendência de Comunicação
(81) 3184.0065 / 99488.2688

Com os escândalos recentes da Operação Carne Fraca, deflagrada pela Polícia Federal, a carne do frango está tendo um lugar de honra na mesa dos brasileiros. A nutricionista Cláudia Oliveira diz que apesar da carne branca ser essencial, é preciso ter cuidado com a procedência da carne consumida.
“O Frango de granja é criado propriamente para o abate e consumo, seu tempo de crescimento é mais rápido, pois em sua dieta inclui diversos tipos de hormônios, o que modifica bastante o sabor da carne e compromete as condições nutricionais do alimento”, disse Cláudia
“Já a galinha Caipira, carne bastante apreciada pelo homem da roça, possui um valor nutricional agregado devido a qualidade do alimento consumido pelo animal, o qual é criado em ambiente aberto e consome em sua maioria alimentos de origem vegetal e livre de pigmentação (que é usada na ração para dar uma cor mais amarela à gema) ”, disse Cláudia, ressaltando que para quem vive na Cidade, longe de toda calmaria da vida campestre, consumir uma galinha com sabor e rica em proteína é bem difícil.
Pensando nisso, o agrônomo Paulo André decidiu iniciar a produção de galinha caipira em maior escala. Sem utilizar nenhum tipo de agrotóxico na alimentação ou no solo, e nenhum tipo de hormônio nas galinhas, Paulo vem se destacando no mercado por oferecer saúde em forma de alimento. No sítio onde fica a Agroindustrial Vale do Sino, a galinha vive de forma natural, com alimentação e condições de vida semelhante ao vivido em propriedades rurais.
“Nossas galinhas são criadas livres no campo, com espaço para correr e se alimentarem de pasto, além de frutas e verduras produzidas no próprio sítio. Criamos galinhas felizes, nos preocupamos com o bem estar animal e com sua harmonia na natureza”, ressalta o agrônomo, satisfeito com o trabalho desempenhado.
Ainda falando em alimentação orgânica, a nutricionista explica que a carne do frango e da galinha caipira tem sabor e propriedades nutricionais bem diferenciados. “A carne da galinha caipira é muito saborosa e com coloração mais escura que a do frango de granja”, destaca Cristiana e explica que essa coloração e sabor se dá porque a musculatura tem maior teor de mioglobina, proteína conjugada necessária para a ave andar e ciscar o dia inteiro.
Cláudia também diz que a carne da galinha caipira além de ser rica em proteínas é, também, fonte importante de energia e de outros nutrientes como vitaminas, minerais e lipídios. “A galinha tem uma carne bastante rica em ferro e nas vitaminas do complexo B, em especial niacina (músculo escuro) e riboflavina (músculo claro)”, destacou.


Rômulo França

A Educação de Limoeiro mais uma vez de luto, pois morreu na manhã de hoje (24/07) a professora Helena Maximo, que por sinal era muito conhecida em Limoeiro a mesma faleceu no Hospital Santa Teresinha, onde estava internada com um AVC.

A profª sofreu o Acidente Vascular Cerebral no dia 19 de julho e desde então vinha lutando pela sua sobrevivência. Servidora do estado, foi professora de muitas pessoas e sua maior escola foi o CERu Professora Jandira, onde construiu um império deixando seu maior legado, a educação que todos levaram consigo. Um presente igual este ninguém esquece e foi nesta eterna gratidão que muitos de seus ex-alunos externaram seus pêsames na Rede Social de sua filha que na manhã de hoje deu a trágica noticia.

 A informação logo se espalhou pela cidade e muitos Limoeirenses comentaram com pesar o que foi uma perca dolorosa para a educação da Princesa do Capibaribe. Além de professora, Hele também trabalhou em parceria com seu Marido Abdias, onde administravam um loja de materiais de construção.


Alunos e funcionários do CERu externaram os pesares aos familiares, assim como os Limoeirenses que muito aprenderam com ela. O velório esta sendo realizado em sua residência, que fica ao lado onde era o armazém de se esposo (PE-50, ao lado do Centro Social Urbano)  e seu sepultamento se dará amanhã por volta das 10:00 da manhã. 

Fonte:coisas da vida



Depois de quase um mês de férias é difícil para as crianças e adolescentes voltarem a rotina escolar, isso porque algumas regras do dia-a-dia, como acordar e dormir cedo, regular a hora de ir ao banheiro e a hora das refeições, muitas vezes são ignoradas neste período.

Para tornar a readaptação mais fácil, a coordenadora do ensino infantil do Colégio Motivo, Julieta Maranhão, sugere que algumas semanas, antes das aulas começarem, os pais comecem a organizar a rotina do estudante, como ele deverá fazer no período de aulas, assim, quando ele retornar as atividades, já vai estar mais familiarizado.

Mas a responsabilidade dos pais não é somente no momento de levar a criança na escola, é preciso também ficar atento à adaptação ao longo dos dias, conversar com os professores e coordenadores e verificar se o filho está fazendo as atividades, dessa forma, a criança entende que a escola é um complemento da educação dada em casa. No Colégio Motivo, por exemplo, antes das aulas acontece uma reunião preparatória com os pais, para que eles possam ajudar da melhor maneira, na adaptação dos pequenos.

O importante, destaca a coordenadora, é escolher uma instituição que passe segurança tanto para os pais, quanto para os filhos, afinal, é ali onde a criança passará a maior parte do dia, por isso, o ambiente precisa ser o melhor possível e precisa estar integrado com os valores dos pais.