Select Menu
Select Menu
Image and video hosting by TinyPic

Noticias de ultima horas

Cidade

Noticias da Região

EDUCAÇÃO E SAUDE

CULTURA E ESPORTE

Mundo e Brasil

Estado

Politica

CÂMARA DE VEREADORES DE LIMOEIRO

» » PARCERIA PARA O FORTALECIMENTO DO ARTESANATO NO PONTO DE MEMÓRIA GALPÃO DAS ARTES


folha limoeiro 20:05:00 0

A diversidade cultural e natural pernambucana é retratada pela arte e pelo artesanato: flora, fauna, danças, religiosidade, questões étnicas, folclóricas ou as marcas da cultura econômica de cada região deste estado , ressaltando a identidade do seu povo. Embora sua definição ainda gere controvérsias, independente da matéria-prima utilizada – natural, reciclada ou industrializada – e da técnica empregada, o produto artesanal é fruto da criatividade do artista-artesão e da influência do seu meio.
A variedade de produtos apresentados contempla inúmeras técnicas e segmentos, influenciados pela vocação artesanal e artística local e pela disponibilidade de matéria prima de cada região, que vai de sementes, fibras, cerâmica, madeira, couro, passando por diversos outros materiais tradicionais - como pedrarias, fios, metais, tecido; até inusitados e alternativos - pet, ferragens, pvc, papel, entre outros.

        Pensando assim, o Centro de Criação Galpão das Artes acolhe a partir deste sábado , 18 de junho, às 14:30 horas ( aula inaugural ) a Oficina de Confecção de Brinquedos inserido no projeto aprovado pelo FUNCULTURA / Governo do Estado de Pernambuco nomeado como Fortalecimento da Cultura Regional Através do Artesanato desenhado pela produtora cultural Ceça Santos, com carga horária de 30 horas aulas. A oficineira será a brinquedista e contadora de história Edna Alves, que contará com diversos convidados ( artesãos, professores e artistas ) no transcurso da execução da oficina. A oficina será gratuita e contempla 25 participantes.

A realização deste projeto tem o intuito de criar as condições a partir das técnicas de utilização de pigmentos naturais, fibras naturais, bambu, barro, madeira, tecido cru, vidro e outros recursos existentes em cada região. A ideia é instrumentar e estimular os participantes a buscarem novas linguagens produtivas gerando como consequência o aprendizado de formas próprias do fazer com a utilização da matéria prima local resultando na criação de produtos originais com identidade local, afirma a produtora cultural Ceça Santos, autora do projeto e integrante da Associação de Mulheres Guerreiras de Camaragibe


«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga