Select Menu
Select Menu
Image and video hosting by TinyPic

Noticias de ultima horas

Cidade

Noticias da Região

EDUCAÇÃO E SAUDE

CULTURA E ESPORTE

Mundo e Brasil

Estado

Politica

CÂMARA DE VEREADORES DE LIMOEIRO

» » Ministério da Educação assina ordem de serviço de R$ 6,5 milhões para obras em Belo Jardim e Caruaru


folha limoeiro 22:34:00 0

Belo Jardim (PE), 26/11/2016 – O ministro da Educação, Mendonça Filho, assinou, neste sábado, 26, as ordens de serviço para a realização de obras de acessibilidade nos campi do Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) em Belo Jardim e Caruaru, onde também será construída uma biblioteca. A cerimônia realizada na unidade de Belo Jardim do IFPE, oficializou o investimento de R$ 6.511.644,65 que beneficiarão cerca de dois mil alunos, além de professores, técnicos administrativos e demais funcionários.

Para Mendonça é preciso fazer uma aplicação mais racional dos recursos para educação para garantir um investimento eficaz. “Nosso objetivo é atender as escolas do Brasil. As obras estão sendo retomadas e em todos os institutos federais pelo Brasil que tem obras em andamento a gente procurado continuar o atendimento para que essas obras possam avançar”, concluiu o ministro.


Em Belo Jardim, a ordem de serviço prevê a realização de obras de acessibilidade, a fim de adequar e adaptar o ambiente físico do campus que tem 21.684,53 m² de área construída, modernizando uma instituição com mais de 58 anos de existência. A liberação orçamentária será de R$ 2.725.563,54 para a 1ª fase das obras, que beneficiarão mais de mil alunos.
Segundo o diretor-geral do Campus Belo Jardim, Francisco das Chagas Lino Lopes, a unidade vem enfrentando problemas pela falta de acessibilidade desde 2012, quando assumiu ele o campus, e que o pleito para regularizar vai impactar na vida de estudantes, docentes e funcionário. “As vezes as pessoas pensam que acessibilidade é só construir a rampa, mas é receber quem precisa”, afirmou.
Já a ordem de serviço para o campus de Caruaru prevê a realização de obras de acessibilidade que vão beneficiar membros da comunidade acadêmica com dificuldades de locomoção e deficiência visual. Cerca de mil pessoas circulam pelo local todos os dias, incluindo 900 alunos, 70 docentes e 60 técnicos. Serão liberados R$ 976.854,60 para obras e serviços, totalizando 1.904 m², para a adequação, adaptação de ambiente físico visando a implantação da acessibilidade do campus, prevista na Lei Federal nº 10.098/00 e norma da ABNT NBR 9050:2004.

Também no campus Caruaru, será construída a primeira biblioteca, desde a sua inauguração, há quase sete anos. O campus foi construído em 2010, porém, apenas a sua primeira etapa foi concluída, deixando de lado equipamentos importantes para o aprendizado dos estudantes.


Atualmente, a biblioteca funciona em uma sala improvisada, com cerca de 120m², o novo equipamento vai contar com 883 m², e serão liberados, ao todo, para a obra, R$ 2.808.226,51.

Durante a cerimônia, o ministro destacou os esforços que a gestão do Ministério da Educação vem fazendo para garantir os investimentos em educação. “A administração pública tem que ter como propósito atender a população, especialmente crianças e jovens no campo educacional, e precisa atuar para que estes serviços sejam prestados e oferecer educação pública de qualidade”, disse.
Para a reitora do IFPE, Anália Keila Rodrigues Ribeiro, as obras de acessibilidade e da biblioteca marcam um novo ciclo para instituição. “Elas reforçam nosso compromisso com nossos estudantes do interior do estado: a acessibilidade diz as pessoas com deficiência elas são bem vindas a nossa casa e tenham um acolhimento carinhoso e eficaz; a biblioteca ressalta nosso papel de construção do conhecimento”, explicou a reitora.

Reunião com estudantes - Ainda em Belo Jardim, o ministro se reuniu com uma comitiva de estudantes do IFPE para discutir o novo ensino médio, valorização da educação técnica e profissional e o Enem. Questionado sobre as mudanças provocadas pela medida provisória, Mendonça destacou a importância do protagonismo do jovem na sua vida escolar. “Eu não quero acabar com nenhuma disciplina, eu quero que todos os jovens tenham acesso ao essencial, que será definido pela base nacional comum curricular, e que eles possam se aprofundar naquilo que lhes interesse”, disse. “O jovem tem o direito e a liberdade de decidir o que eles querem fazer”.

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga