Select Menu
Select Menu
Image and video hosting by TinyPic

Noticias de ultima horas

Cidade

Noticias da Região

EDUCAÇÃO E SAUDE

CULTURA E ESPORTE

Mundo e Brasil

Estado

Politica

CÂMARA DE VEREADORES DE LIMOEIRO

» » Dirigente sindical é agredida por empresária da hortifruticultura de Petrolina


folha limoeiro 19:57:00 0

Mesmo com a Convenção Coletiva de trabalho legitimando a presença dos Sindicatos dos Trabalhadores nos espaços nos quais os assalariados da hortifruticultura do Vale do São Francisco estão exercendo suas atividades, para repasse de informações de natureza sindical e de interesse da categoria, a dirigente Simone Paim, do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Petrolina, foi agredida por uma empresária, na manhã de hoje, durante o exercício de suas funções. Com hematomas pelo corpo, ela prestou queixa na delegacia local, fez exame de corpo de delito, e denunciou a agressão no Ministério Público do Trabalho. A Fetape, por meio da diretora de Política Agrária, Maria Givaneide, acompanhou todos esses procedimentos.

O fato ocorreu no momento em que dirigente estava repassando aos trabalhadores informações sobre os entraves nas Negociações Salariais deste ano, principalmente porque os empresários estão propondo a retirada de direitos da categoria. “Como a empresária não concordava com a minha fala, inicialmente ela me agrediu verbalmente, depois me deu um murro e pegou pela gola da minha camisa, na frente de todos os trabalhadores”, relatou Simone Paim, complementando: “a violência ocorreu na empresa Shimabukuro, e a agressora foi a senhora Mikiko Koshiama Shimabukuro”.

A dirigente conta, ainda, que havia registrado sua presença no setor Administrativo, que fica na entrada da empresa, como é de costume. Segundo ela, sempre na época de negociação da Campanha Salarial, o Sindicato visita os locais de trabalho da categoria para repassar o que está sendo dialogado com a classe patronal e ouvir a posição dos trabalhadores.

Agora, o Sindicato vai acompanhar os procedimentos dos órgãos que receberam a denúncia, e reivindicar a punição da agressora e da empresa.

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga