Select Menu
Select Menu
Image and video hosting by TinyPic

Noticias de ultima horas

Cidade

Noticias da Região

EDUCAÇÃO E SAUDE

CULTURA E ESPORTE

Mundo e Brasil

Estado

Politica

CÂMARA DE VEREADORES DE LIMOEIRO

» » Para Danilo Cabral, flexibilização do texto da reforma não atende demandas da sociedade


folha limoeiro 23:27:00 0

“O movimento de flexibilização de alguns pontos da proposta de Reforma da Previdência não atendeu à expectativa da sociedade”, avalia o deputado federal Danilo Cabral (PSB-PE). O parlamentar participou, na manhã desta terça-feira (18), do café da manhã oferecido pelo presidente Michel Temer para apresentar as mudanças realizadas no texto a fim de tentar aprová-lo na Câmara dos Deputados.

Segundo Danilo Cabral, continua sendo uma proposta muito dura para os trabalhadores. “O governo propõe austeridade para os mais fracos, mas não para os que estão no andar de cima”, critica. Ele cita como exemplos a manutenção da elevação da idade mínima das mulheres para a aposentadoria rural e dos professores, a ausência de mecanismos de cobrança dos grandes devedores do sistema previdenciário e a redução das renúncias fiscais feitas com recursos da seguridade social.

O deputado diz que, pelo que conversou outros parlamentares presentes no encontro, dificilmente o governo obterá os 308 votos necessários para a aprovação da reforma em Plenário. “Tanto que a leitura do relatório, prevista para hoje (18), foi adiada para amanhã (19) numa tentativa de refiná-lo ainda mais”, comenta Danilo Cabral. Espera-se, ressalta ele, que haja um pedido de vista após a leitura do relatório, fazendo com a proposta só chegue ao Plenário em maio.

Danilo Cabral reafirma que não votará a favor da Reforma da Previdência mesmo com as modificações no texto. Desde o início da tramitação do projeto no Congresso, ele tem adotado uma postura crítica, inclusive defendendo que não há déficit no sistema de seguridade social brasileiro, que engloba as áreas de saúde, previdência e assistência social. “Apesar de ter uma visão crítica à proposta, fui escutar o que o presidente Temer, o ministro Henrique Meirelles (Fazenda) e o relator Arthur Maia tinham a dizer”, justifica.

Foto: Sérgio Francês 

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga