Select Menu
Select Menu
Image and video hosting by TinyPic

Noticias de ultima horas

Cidade

Noticias da Região

EDUCAÇÃO E SAUDE

CULTURA E ESPORTE

Mundo e Brasil

Estado

Politica

CÂMARA DE VEREADORES DE LIMOEIRO

» » Técnica inovadora em transplantes de córnea traz mais segurança para o paciente


folha limoeiro 21:18:00 0



Menor índice de rejeição e recuperação visual mais rápida estão entre os benefícios da técnica DMEK

Recentemente, os oftalmologistas Lucio Maranhão e Bernardo Cavalcanti, do Hospital de Olhos de Pernambuco (HOPE), ministraram, pela primeira vez no estado, curso sobre o transplante endotelial DMEK. Trata-se de uma técnica inovadora que transplanta apenas parte da córnea. As principais  vantagens são recuperação visual mais rápida, menor indução de grau no pós-operatório, cirurgia com menor incisão e suturas, além de menor índice de rejeição.

“Antigamente quando se falava em transplantes, se trocava a córnea inteira. Atualmente, com o avanço das técnicas, é possível trocar apenas a parte doente da córnea, sem mexer na parte sadia, ou seja, a parte boa da córnea do paciente não é transplantada. Esses transplantes são chamados lamelares e podem ser classificados em lamelares anteriores e lamelares posteriores. O DMEK faz parte dos lamelares posteriores, onde trocamos apenas o endotélio e uma membrana com espessura em torno de 12 a 15 micras”, explica Lucio Maranhão.

O curso, realizado no início de julho durante o IX Congresso Nacional da Sociedade Brasileira de Oftalmologia, no Recife, contou, ainda, com os oftalmologistas Nicolas Cesário, de Sorocaba, e Ramon Ghanem, de Joinville, como palestrantes. “Tivemos a participação de diversos médicos do país, usufruindo da parte teórica e prática. O objetivo foi estimular outros colegas a realizarem a técnica DMEK, divulgando essa como uma das melhores opções de transplante endotelial, tanto para os pacientes como para o médico”, explica Lucio Maranhão. “A técnica DMEK é micro-invasiva e os pacientes apresentam excelente recuperação pós-operatório, que significa menor tempo para retornar as atividades habituais”, completa Bernardo Cavalcanti. 

A técnica de transplante DMEK é realizada pelo HOPE e pela Fundação Altino Ventura (FAV) desde o final de 2015. “Implantamos  logo após curso com o professor Francis Price, nos Estados Unidos, que é uma das maiores autoridades em DMEK no mundo. Fomos pioneiros em Pernambuco”, destaca Lucio Maranhão.

A iniciativa foi fundamental para colaborar com a quantidade de transplantes de córnea realizada no Estado, sobretudo agora, que Pernambuco atingiu o status de córnea zero. Isso significa que a partir deste mês, todo paciente que tiver indicação para um transplante de córnea, depois de realizar os exames necessários para ser inscrito na fila de espera, fará o transplante em até 30 dias.

De acordo com a Central de Transplantes, no primeiro semestre foram realizados 516 transplantes de córnea em Pernambuco. Desses, 190 foram realizados pela FAV e 72 pelo HOPE, totalizando mais da metade do total de transplantes. “São números expressivos e que representam a dedicação e trabalho de toda a equipe. Desde 2013 realizamos transplantes endoteliais pela técnica DSEK, evoluindo, em 2015, para a DMEK. Hoje os transplantes lamelares representam quase 50% dos transplantes realizados no HOPE e na FAV. O foco da nossa equipe é agregar modernidade e segurança para o paciente”, ressalta Bernardo Cavalcanti.

Doações – A Central de Transplantes de Pernambuco reforça que qualquer paciente que falece em unidade hospitalar, seja por morte encefálica ou por parada cardíaca, pode doar a córnea que, após a retirada, dura até 14 dias. Para que ocorra a doação, de acordo com a legislação brasileira, um parente de até segundo grau precisa autorizar.

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga