Headlines

EDUCAÇÃO E SAÚDE

CÂMARA DE LIMOEIRO

CULTURA POLITICA E REGIÃO


Conheça Limoeiro

» » Vereador Marcos Sergio diz ao prefeito de Limoeiro o quem na verdade esta praticando o terrorismo


O que se pensava era que em 2018, seria um ano de entendimento entre o executivo e o lesgilativo mais mim parece mero engano. E toda ação tem uma reação, ontem o prefeito do município usou o espaço da Radio Cultural FM, alegando esta sofrendo perseguição e ação terrorista da Oposição, chegando a comparar com o estado Islâmico; e em dos trechos citou um vereador que teria usado ilegalmente do direito de ter três empregos publico, tudo levou a crê que seria o Vereador Marcos Sergio (PSD).

E Marcos Sérgio, foi até a Rádio Cultural FM, onde teve o espaço garantido pela empresa em direito de resposta e defesa. Em entrevista  ao companheiro, Gonçalves Filho, deixou claro que quem esta fazendo terrorismo é o prefeito e não os vereadores da oposição.
Terrorismo é deixar seus funcionários e contratados sem receber o mês de dezembro até agora, e muitos estão sem receber a cerca de 3 meses e isso não se  faz isso é terrorismo, pois a muitos anos os funcionários não vivia uma situação como esta. 

Com relação a sua integridade e quanto homem, policial e professor, Marcos Sergio, esse que jamais recebeu nada do que não fosse seus de direito. Até na sua profissão de Policial o mesmo alegou que jamais recebeu algo dinheiro ou produto de alguém, pois sempre agiu uma conduta pautada na ética e na moral conforme a lei e como cidadão brasileiro. O vereador colocou suas contas a disposição d justiça, “Podem vasculhar minas contas bancárias e verão que nada tenho além do que é meu por direito” disse o vereador.

 A falta de água em toda cidade isso sim é terrorismo, outro fator citado pelo vereador Marcos Sérgio como ato de terrorismo, foi a demissão de funcionários da Câmara Municipal Limoeiro em virtude da devolução de funcionário que honrou a folha de pagamento fazendo com que a câmara tivesse que e demitir 15 assessores em virtude da não aprovação do projeto que dava o direito dele usar 20% do orçamento.


«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga