Headlines

EDUCAÇÃO E SAÚDE

CÂMARA DE LIMOEIRO

CULTURA POLITICA E REGIÃO


Conheça Limoeiro

» » SARAMPO: Falando de Saúde Públic





Olá queridos leitores, olha eu aqui de novo! Trazendo sempre um tema super relevante e atual, afinal de contas o que é o Sarampo? O porquê esta sendo falando tanto nas mídias? Como Prevenir? Vamos comigo que essas e outras perguntas estarão sendo respondidas abaixo.

Ela é uma doença infecto-contagiosa provocada por vírus e transmitida por secreções das vias respiratórias como gotículas eliminadas pelo espirro ou pela tosse, uma das principais características, o surgimento de placas avermelhadas no rosto que progridem em direção aos pés. Uma doença potencialmente grave, contagiosa e muito comum na infância.
 Dois anos após receber da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), certificado de eliminação do sarampo, o Brasil registra um caso importado da doença em 13 de fevereiro de 2018 no estado de Roraima, uma bebê de um ano. Com um número crescente de imigrantes que chegam da Venezuela (país em crise e que já enfrenta um surto da doença) em busca de atendimento médico, emprego, moradia e comida, a maior parte dos casos suspeitos e diagnosticados no estado de Roraima é de venezuelanos. Os casos confirmados acendem o alerta para evitar a epidemia da doença no estado e em estados vizinhos. Para isso, a vacinação, principal medida de prevenir o sarampo, está sendo intensificada e pretende alcançar tanto brasileiros como os imigrantes venezuelanos.

Antes de receber da OPAS o certificado de eliminação de sarampo, os últimos casos no Brasil haviam sido registrados com maior número nos estados de Pernambuco e Ceará nos anos entre 2013 e 2015.  Até então o histórico da evolução da doença no país retrata que o sarampo já foi considerado como uma das principais causas de morbidade e mortalidade na infância, já se comportou como endêmica e já ocasionou muitas epidemias. Com a meta de eliminar a doença, o país implementou em 1992, o Plano Nacional de Eliminação do Sarampo e desenvolveu ações como: campanhas de vacinação da população, organização de campanhas de divulgação, vigilância epidemiológica intensiva dos casos suspeitos, diagnóstico laboratorial de casos notificados, entre outras estratégias. As ações desenvolvidas com o Plano surtiram efeito e houve uma redução do número de casos confirmados por sarampo e consequentemente a diminuição da circulação do vírus no país.

Preciso me preocupar?

Para a situação atual no estado de Roraima, já foram realizadas capacitações do pessoal e intensificação das ações de vigilância e controle da doença no estado e o foco na vacinação, o público-alvo são as pessoas não vacinadas entre 6 meses e 49 anos de idade. A vacina utilizada é a tríplice viral (contra sarampo, caxumba e rubéola) e possui eficácia >95%.
Num quadro de casos confirmados de sarampo, por exemplo, é levado em consideração as coberturas vacinais, estas que em baixos índices é indicativo de uma população vulnerável e expostas não só ao sarampo como as demais doenças que são alvo de imunização. Mas, quando altas garantem mais segurança e diminuem o risco de circulação do vírus e um possível surto.

O que devo fazer?

No Brasil, a cobertura vacinal não é alta em todas as localidades daí a importância dos gestores locais acompanharem as coberturas vacinais de suas regiões a fim de identificar possíveis pontos que necessitem de reforços. Aos pais, estarem atentos aos programas de vacinação de seus filhos é fundamental. E em caso de dúvida se você já tomou ou não a vacina quando criança procurar um centro de vacinação é a melhor opção


Por: Monica Albuquerque
Biomédica, CRBM 4774, formada pela Faculdade Santa Emília de Rodat, João Pessoa. Especialista em hematologia clínica e analista de saúde Publica

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga