Headlines

EDUCAÇÃO E SAÚDE

CÂMARA DE LIMOEIRO

CULTURA POLITICA E REGIÃO


Conheça Limoeiro

» » Balanço de vacinação sarampo e pólio // Encontro de gestores na sexta (17.08)

Até a manhã desta segunda-feira (13.08), Pernambuco imunizou 50.340 meninos e meninas de 1 a menores de 5 anos (4 anos, 11 meses e 29 dias) contra o sarampo. Em relação à vacina de poliomielite, foram 49.088 (9,02%). Durante a Campanha de Vacinação contra a Poliomielite e o Sarampo, que segue até 31 de agosto, com o Dia D no próximo sábado (18.08), a expectativa é proteger, no mínimo, 95% das 544.180 crianças inclusas nessa estratégia. Todos na faixa etária entre 1 e menores de 5 anos devem ser imunizados, independente do histórico vacinal.

ENCONTRO – Na próxima sexta-feira (17.08), das 8h30 às 12h30, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) reúne gestores da área para tratar da "Vacinação em crianças e adultos - dúvidas e controvérsias". A iniciativa, em parceria com a Sociedade de Pediatria de Pernambuco, será realizada na sede da SES, no bairro do Bongi, no Recife. Também haverá transmissão para todas as 12 Gerências Regionais de Saúde (Geres), além dos auditórios do Hospital da Restauração (HR), do Imip e do Hospital Dom Malan (Petrolina).

Na programação, apresentação das coberturas vacinais no Estado e uma discussão para tirar as dúvidas dos participantes sobre a campanha e vacinação em geral. A coordenadora do Programa Estadual de Imunização, Ana Catarina de Melo; a pediatra e técnica da Gerência de Atenção à Saúde da Criança e do Adolescente da SES, Madalena Oliveira; o presidente da Sociedade de Pediatria de PE, Eduardo Jorge Fonseca; e a infectologista Ângela Rocha participam do evento.

A reunião é voltada para profissionais da Atenção Primária, da rede de urgência e emergência, dos Programas de Imunização, Conselhos de Enfermagem e Medicina, entre outros profissionais de saúde interessados. Para participar, é preciso fazer a inscrição pelo vacinape2018@gmail.com, informando nome completo, formação/profissão, local de trabalho e o município, cargo/função e local escolhido para participação.

SARAMPO – Doença infecciosa exantemática aguda, transmissível e extremamente contagiosa, acomete principalmente crianças com até cinco anos de vida, podendo evoluir com complicações e óbito. A transmissão ocorre de pessoa a pessoa, por meio de secreções respiratórias, no período de quatro a seis dias antes do aparecimento do exantema (mancha avermelhada na pele) até quatro dias após.

Entre os sintomas da doença: febre alta, acima de 38,5°C, manchas avermelhadas (exantema) generalizadas pelo corpo, tosse, coriza, conjuntivite e manchas de Koplik (pequenos pontos brancos que aparecem na mucosa bucal, antecedendo ao exantema). As complicações mais comuns são pneumonia, otite, doenças diarreicas e neurológicas.

Para evitar o sarampo, a indicação, é utilizar a vacina tríplice viral, que ainda protege contra a rubéola e a caxumba. Na rotina, a tríplice deve ser aplicada em crianças com 12 meses, com um reforço aos 15 meses com a tetra viral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela). Para crianças acima de 2 anos e jovens e adultos até os 29 anos, não vacinados anteriormente ou que não se lembram, devem ser feitas 2 doses da tríplice viral, com intervalo de 30 dias entre elas. Adultos entre 30 e 49 anos (não imunizados ou que não lembram) devem tomar uma dose da tríplice. Profissionais de saúde não vacinados devem tomar duas doses com a vacina tríplice viral, independente da idade. Essas doses são disponibilizadas durante todo o ano nos postos de vacinação de todos os municípios de PE.

Em Pernambuco, em 2017, 99% das crianças de 1 ano tomaram a primeira dose da vacina tríplice viral. Contudo, apenas 69% fizeram a segunda dose, completando o esquema. A meta mínima para prevenir a circulação da doença é de 95%.

Dados da doença – Em Pernambuco, foram confirmados 199 casos de sarampo em 2013 e 27 em 2014, além de 1 caso importado em 2012. Anteriormente, o último registro tinha sido em 1999, com 240 casos. Não há confirmações em 2018.

POLIOMIELITE – Doença infectocontagiosa viral aguda, caracterizada por um quadro de paralisia flácida, de início súbito. Acomete em geral os membros inferiores, de forma assimétrica, tendo como principais características a flacidez muscular, com sensibilidade preservada, e falta de reflexo no segmento atingido. A transmissão ocorre por contato direto pessoa a pessoa, pela via fecal-oral (mais frequentemente), por objetos, alimentos e água contaminados com fezes de doentes ou portadores, ou pela via oral-oral, através de gotículas de secreções da orofaringe (ao falar, tossir ou espirrar).

Em Pernambuco, o último caso foi em 1988, enquanto que no Brasil foi no ano seguinte, na Paraíba. A doença permanece endêmica em três países: Nigéria, Afeganistão e Paquistão, com casos confirmados em 2018 apenas nos dois últimos.

O esquema vacinal do Calendário Nacional de Vacinação é composto por três doses da vacina inativada da poliomielite (VIP), administradas aos dois, quatro e seis meses, sendo necessários dois reforços com a vacina oral da poliomielite (VOP) aos 15 meses e aos 4 anos de idade, além das doses ministradas durante as campanhas.

A meta de cobertura vacinal maior ou igual a 95% deverá ser alcançada em todos os municípios brasileiros, tanto na rotina quanto nas campanhas. Em Pernambuco, em 2017, 82% das crianças foram vacinadas. “As crianças precisam completar o esquema para estarem imunizadas. Os meninos e meninas vacinados com a dose oral ainda produzem o que chamamos de ‘imunidade de rebanho’, já que eles espalham no ambiente o vírus vacinal, o que ajuda numa imunização coletiva”, frisa Ana Catarina.

Dados da doença – Os últimos registros de poliomielite em Pernambuco foram em 1988 (5 casos e 1 óbito). No ano de 1980 o Estado chegou a ter 111 casos, com 13 óbitos.

Secretaria Estadual de Saúde - PE
Superintendência de Comunicação
(81) 3184.0065 / 99488.2688

Foto

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply