Headlines

EDUCAÇÃO E SAÚDE

CÂMARA DE LIMOEIRO

CULTURA POLITICA E REGIÃO


Conheça Limoeiro

» » O Relator da CPI do Limoprev Marcos Sérgio não isentou nem um dos gestores desde a criação do fundo até hoje em seu relatório

No dia 20/05/18, deu-se  inicio a CPI do Limoprev, com a primeira (oitiva?) dos convocados a prestarem esclarecimentos das apurações do valor contribuído pelos funcionários e gestão ao Limoprev.

O primeiro a ser ouvido foi o Ex-funcionário do Limoprev Henrique, foram ouvidos ainda vários ex-funcionários bem como os atuais, secretários, contadores, além dos dois últimos gestores de Limoeiro; Ricardo Teobaldo(PODEMOS), Thiago Cavalcanti(PTB) e o atual gestor Joao Luiz Ferreira filho(PSB).

E hoje dia 23/08/2018, a CPI do Limoprev chegou ao final com a Leitura do relatório do Vereador Marcos Sergio(PSD), o qual foi escolhido pela comissão para ser o relator da apuração das possíveis irregularidades do fundo previdenciário dos servidores municipal de Limoeiro. A comissão foi formada pelos vereadores José Higino(PP) presidente, Daniel do Mercadinho(PTB) vice-presidente, Marcos Sergio(PSD) Relator, e os membros Maria Batalha(PSB) e Ronaldo Morais(PTdoB).

Ao final da apuração o Relatório de 24 páginas, aponta um valor superior a 10 milhões de Reais, que não foram recolhidos aos cofres do Limoprev, pela três últimas gestões. Para este montante foi autorizado o parcelamento em 150 meses pela maioria da Câmara de vereadores. A comissão segue estes dias enviando oficio e o relatório a vários órgãos fiscais e federais como, MPPE, TCE e PF.

Um pequeno tumulto foi registrado na sessão de hoje ao final da leitura do relatório, a Vereadora Batalha(PSB), pedindo ao relator que fosse retirado do relatório o trecho onde fala do documento solicitado ao atual gestor que o Ministério da Previdência teria enviado mandando, que fosse feito a suspensão dos parcelamentos anteriores. Mais após uma breve discursão o presidente e o relator, não acatou o pedido da mesma, que também tentou pedir visto o que não era permitido por lei e manteve-se o que estava escrito no relatório.

O problema todo foi que ao constar no relatório que foi solicitado a todos da gestão atual, inclusive do Prefeito Joao Luiz o documento oficial do Ministério  da Previdência, mandando que suspendesse  os parcelamentos anteriores, não foram entregues a CPI.  A vereadora não queria que este ocorrido fosse colocado no relatório o que não foi aceito pelo presidente da comissão e pelo relator.

No final foi aprovado por unanimidade, apesar do protesto da vereadora.Estes vereadorwes entram para historia politica de Limoeiro como os vereadores da primeira CPI instalada em Limoeiro.

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply